INVESTIMENTO

De acordo com a IDC, os investimentos em TI em 2020 poderão alcançar a marca de até US$48 bilhões. Essa informação foi apresentada durante a realização da IDC FutureScape. O levantamento apontou que o mercado de TI, que inclui hardware, software e serviços, da América Latina fechou 2019 com um crescimento de 1,3%. Portanto, a previsão para 2020 é que essa porcentagem aumente em 4,8%.

Ricardo Villate, vice-presidente da IDC Latin America, apresentou as área que mais receberão investimentos em TI em 2020. Segundo ele, tecnologias conhecidas como “pilares para a terceira plataforma” receberão a maior parte dos investimentos em TI em 2020 da América Latina. Ou seja, 58% dos investimentos em TI em 2020 impactarão nas áreas relacionadas à nuvem, big data, mobilidade e empreendedorismo social.

Valleti alegou ainda que um conjunto de “aceleradores da inovação da terceira plataforma” receberão ainda mais investimentos em TI em 2020. Ou seja, passarão de 17% para 27% nos próximos cinco anos. Vale ressaltar que a Inteligência Artificial deve crescer cerca de 44% em 2020.

“O mundo está se aproximando da supremacia digital. Ou seja, do momento em que a economia digital supera o tamanho da economia não-digital. A economia mundial chegará à supremacia digital em 2023.” – Ricardo Villate.

Outras previsões da IDC relacionadas aos investimentos em TI em 2020, especificamente na América Latina, incluem:

2020

É previsto um déficit significativo de profissionais de TIC. Este deverá chegar à marca de 570 mil profissionais em 2020.

2022

Em 2022, mais da metade das empresas na América Latina vão integrar gerenciamento em nuvem. Contudo, além da implementação de novas tecnologias, ferramentas e processos de gestão serão unificados.

2023

Mais de 80% do mercado será representado pelas cinco mega plataformas de nuvem pública em 2023.

40% das mil maiores empresas contarão com um ecossistema com milhões de desenvolvedores digitais. 50% delas vai gerar mais de 15% de sua renda digital por meio desse ecossistema ou plataforma digital. Portanto, mais de 50% da economia global será digital. Ou seja, mais de 15 milhões de aplicações e serviços digitais nativos da nuvem serão desenvolvidos e implementados. Dessa forma, os investimentos em tecnologias-chave deverão atingir os seguintes pontos:

 

Hipervelocidade:

Este deverá ajudar a criar e aprimorar serviços e experiências digitais tornando-as 100 vezes mais rápidas;

Hiperescala:

Este contará com aplicações e serviços digitais desenvolvidos e implementados nos quatro anos seguintes. Além disso, bilhões de dispositivos de borda (Edge) e milhares de localizações de Edge Computing serão implantadas;

Hiperconectividade:

Este deverá ampliará seu próprio poder inovador. Isso se dará por meio a união de dados de terceiros. Ou seja, criará novas fontes de renda e distribuição de serviços digitais para outras cadeias.

Espera-se ainda que entre as 2000 principais empresas da América Latina, cerca de 30% vão nomear um Chief Trust Officer. Este profissional deverá se responsabilizar por organizar todas as funções de confiança. Ou seja, segurança, recursos humanos, risco, vendas, produção, finanças e jurídico.


2024

Mais de 40% dos gastos relacionados a TIC serão destinados à transformação digital e inovação digital. Ou seja, haverá um crescimento anual de 22%. Além disso,a quantidade de aplicações em borda deverá triplicar.


Não obstante, mais de 35% das interações realizadas com interface de usuário usarão vídeo inteligente, fala, processamento de linguagem natural e realidade virtual/aumentada.

2025

Cerca de 50% das empresas latino americanas produzirão softwares ativamente. Os códigos usados serão, inclusive, implementados diariamente. Portanto, elas contarão com 90% das novas aplicações nativas em nuvem. Enquanto isso, 65% dos códigos externos contarão com mais desenvolvedores.


Ainda em 2025, estima-se que mais de 50% das novas aplicações empresariais latino americanas irão incluir a Inteligência Artificial.


Segundo a IDC, haverá um crescimento de 20% na receita das empresas da região. Este virá de ofertas de “espaços em branco”.


E o Brasil?

Mais especificamente no Brasil, estima-se um crescimento de 4,5% nos investimentos em TI em 2020. Já o mercado de telecomunicações deverá crescer 0,2%. Villate, portanto, afirmou que os investimentos em TI em 2020 chegarão a US$48 bilhões e, em telecomunicações, US$41 bilhões. Ou seja, o setor de telecomunicações encerrou 2019 com baixa de 3,5%. Entretanto, espera-se uma recuperação de quase dois pontos percentuais em 2020.

INSTI - INOVAÇÃO EM SOLUÇÕES DE PROJETOS EM TI